quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Sophia de Mello Breyner Andresen e J. Oliveira



Tejo











Aqui e além em Lisboa – quando vamos
Com pressa ou distraídos pelas ruas
Ao virar da esquina de súbito avistamos
Irisado o Tejo:
Então se tornam
Leve o nosso corpo e a alma alada


in Obra Poética, 2011


OLIVEIRA, J., "Lisboa vista do Tejo com cacilheiro"

Sem comentários: