domingo, 12 de maio de 2013

Ana Isabel Falé e Ricardo Gómez de Cádiz




água pura





 


o que me apetecia agora era um naco de poema
algo substancial como alimento
um agasalho da pele ainda mais quente
do que a pele de marta ou de serpente

no meu deserto fazia-me falta gente:
os teus passos na areia e, por exemplo,
uma história surpreendente
como adagas, nómadas e ventos

um abraço no teu manto de carinho
talvez umas dunas após outras
e o horizonte armado de verdura

porque dentro dos teus olhos de lonjura
havia a natureza e havia ainda a água pura 


 

 in Chuva no Deserto, 2012
 
 
 
Ricardo Gómez de CÁDIZ, "Danza Azul"

Sem comentários: