sábado, 2 de fevereiro de 2013

Uma Imagem, Dois Textos...


Alice NEEL, "Loneliness"
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Partiste.
Na sala, uma cadeira vazia.
E silêncio.

 
 
(SV)
 
 
 
 
Procuro-te. Neste caminho feito de desencontros. Nesta senda feito de enganos. Em horizontes vestidos de negro, onde o cinzento dos dias se torna o sol das minhas noites. Procuro-te. Nas viagens que não faço. Nos atalhos que me levam a becos sem saída. Procuro-te em longas e desertas estradas fustigadas pela chuva dura que me empurra contra um chão que me quer devorar, que me assusta. Procuro-te na ponta de asas de aves que correm os céus, num desleixo tranquilo de ventos ondulantes. Tão quentes. Procuro-te na espuma das ondas que adormecem sobre a areia pisada por viajantes naufragados. Nas janelas por onde espreito, de encontro à solidão fantasma de paredes anémicas. Em camas desfeitas, cujos lençóis transpiraram de prazer. Em pequenos sofás onde escuto quem não está. Procuro-te em folhas de papel vazias, nas teclas de um piano coberto por um Pano-Tempo. No lamento infindável deste velho violino. Procuro-te nas coloridas lágrimas esvoaçantes que caem de árvores que se despem ao serem sacudidas pela tempestade. Na descontinuidade das linhas de uma estrada que me levam a lado nenhum. No reflexo dos sujos vidros de montras…
(Vem, está-se melhor aqui… vem…)
Procuro-te no espelho para onde olho. Adormecido. Nos segundos que sinto, pesadamente, a caminharem no mostrador vermelho deste obscuro despertador.
Procuro-te.
 
Talvez te encontre. Do outro lado do arco-íris.
 
 
(PM)

Sem comentários: