domingo, 27 de fevereiro de 2011

Eugénio de Andrade e Salvador Dali

Allegretto Scherzando








Aqui tenho árvores próximas, posso ir à varanda, a luz crepuscular costuma demorar-se nos ramos. Mas hoje, mal abri as persianas, um estorninho entrou na sala, deu algumas voltas rápidas e reconhecer o terreno, depois pousou no piano, próximo de Mozart. Cheio de curiosidade, perguntava-me o que iria acontecer. Qual deles começaria a cantar? Mas o telefone tocou, fui atender, queriam saber se naquele lado do mundo se avistava no céu algum objecto brilhante, e quando voltei já o Mozart e o estorninho haviam partido.

 
 
Salvador DALI, "Piano"

Sem comentários: