domingo, 26 de setembro de 2010

Nuno Júdice e Solange Pizzato

Os Materiais do Poema










Lavo as mãos no poema de ponge sobre o sabão,
Esfregando-as bem nas palavras para que todas
As sílabas fiquem bem limpas. Seco-as com a
Toalha da estrofe, e estendo uma frase até ao
Limite do verso para ver as últimas gotas de água
Escorrerem para o fundo das palavras com que
Descrevo o sabão. Uma espuma de sons ainda
Fica no canto do lavatório; e deito-lhe por cima
Água da torneira, para que ela desapareça pelo
Cano da realidade. De facto, o poema sobre o
Sabão não precisa de impurezas; e espero que
A tinta que impregna a estrofe no papel
Me volte a sujar as mãos para as esfregar, como
Se esta forma abstracta fosse uma esponja, e eu
Pudesse lavar as mãos com o puro som do sabão.


 
Solange PIZZATO, "Ilha Azul"

Sem comentários: